sábado, 13 de dezembro de 2008

PÃO E POESIA

Homens suam a cântaros para ganhar o pão
e se desdobram em dez para obter alegria;
se aquele almejam, suam e engravidam o chão
e no deleite desta sonham e se entregam à poesia
.
As aves nem trabalham mas sempre têm pão,
alguns homens, se o desejam, passam por agonia,
aram a terra, constroem pontes, pilotam avião,
escrevem livros, arrancam tocos, fazem poesia
.
No seu cotidiano as panificadoras produzem pão,
abençoada atividade imprescindível ao dia-a-dia;
os padeiros ganham o seu trabalhando para o patrão,
os boêmio se perdem na noite e se acham na poesia
.
Famintos, os mendigos sofrem a dor de não ter pão;
se houvesse igualdade isso jamais aconteceria:
eles teriam café, manteiga, carne e macarrão,
acesso à cultura, lar, diversão e à arte da poesia

17 comentários:

elisabete fialho disse...

Estou de acordo meu amigo mas cultura e poesia apenas enche a alma não mata a dor da fome na barriga
É injusto para quem sente fome no corpo e fome na alma
È muito injusto...eu sei
Abraço

Isa disse...

Palavras sábias, meu Amigo.
Bom fim de semana.
Beijo.
isa.

Giane disse...

Amigo Gilbamar;

O Pão inspira a Poesia.
E a Poesia não pode aplacar a fome de quem quer Pão.
Para a maioria viver sem poema não tem problema, mas para todos, é a morte não ter alimentação.
O corpo fisíco necessita dessa energia material para levá-lo adiante.
E quando a fome bate, não há quase beleza que a afaste...

Beijos mil!!!

Ana Paula Duarte disse...

Olá!!
Linda poesia, tudo sicronizado, boas idéias, particularmente gosto de textos e poesias de cunho social, o seu está sapiente e emocionante!
Abarços, desejo-te inspiração diária!

Adrisol disse...

me encantó tu asociación de la poesía con el pan de cada día.........
un abrazo gilbamar!!!!!!!


preciosa la música que tienes en tu espacio...............

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Gilbamar, belíssima poesia que tocou o meu coração... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Caperucita disse...

Estupendo Pan, no me extraña que te inspire poesía, no es para menos.
Te deseo unas felices navidades.
Besos.

Dany disse...

tava observando como sua métrica oética é perfeita!!
A rima, então, nem se fala!! E a realidade do texto, ainda emociona! Tudo lindo!
Bjs

BC disse...

Como seria bom que todos tivessem acesso a todos os bens essenciais, mas infelizmente isso ainda não é possível em tantos lados e infelizmente cada vez mais!!!!

Tenhamos esperança que a coisas vão mudando para melhor.
Abraço fraterno amigo
Isabel

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Quem dera todos tivessem pão e poesia, querido Gilbamar... como este mundo seria melhor...
beijos e borboleteios

paula barros disse...

Poeta, que inteligência e sensibilidade, pegar o tema pão e poesia, e discorrer através da poesia lembrando do compromisso social, de sobrevivência, de igualdade social, do dia-a-dia dos trabalhadores e lembrando que se precisa do alimento do corpo e da alma.

A poesia está na vida. Mas muitos para sobreviverem não conseguem sentir, lidar com a poesia da vida.

boa semana!

cynthia disse...

Linda tu idea.. lindo tu vuelo.. una mezcla una necesidad una entrega inteligente...

besotes.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Nunca pensei ler um poema sobre o pão mas resultou muito bem !
Parabéns ! Afinal o pão é um alimento quotidiano e tinha direito à homenagem !

Agora, brincando um pouco, se não me leve a mal : Também resultou esta foto do pão porque abriu-me o apetite...

Beijinhos verdinhos

Diosaoasis disse...

Todo provoca poesia es bello eso es el arte de ver con ojos de poeta.

Uma boa pergunta... disse...

Gil!!
Não sei se lembra de mim...
mas eu acompanho seu blog...
Sou fã de suas belas palavras inspiradoras..
^^

Deixei um desafio-presente pra você la no meu blog

bjaum
=*

Raquel El-Bachá disse...

Muito legal essa poesia. O pão que alimenta o corpo e a poesia que alimenta a alma.
Beijos.

Ana Maria disse...

Infelizmente existem muitos famintos , sem o pão de cada dia na mesa.
Amigo, tenha uma noite iluminada!
Beijinhos!