quarta-feira, 15 de abril de 2009

O CAMINHO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA - II




A catedral de Santiago de Compostela é suntuosa e envolvente e nos passa a nítida e quase palpável impressão de ter qualquer coisa de fenomenal, como se em seu interior houvesse algo de tal forma grandiloqüente que, como uma invisível mão afável, parece nos fazer gestos de carinho e afeto no rosto, nos deixando enlevar e sentir como se penetrássemos num mundo totalmente à parte do nosso cotidiano. Meio que na penumbra, velas acesas por todos os lugares, congestionada por uma verdadeira multidão de pessoas de várias nacionalidades e idiomas, as vetustas colunas ensebadas por dedos e mãos que ali pousaram em situações certamente as mais íntimas e misteriosas, deixava entrever, contudo, naquela babel onde o respeito predominava apesar de tudo, um belíssimo e fabuloso altar elaborado por hábeis artistas da arte religiosa e no qual, me pareceu, predominavam inúmeras peças de ouro amontoadas com precisão entre um sem número de objetos da fé católica formando um deslumbrante espetáculo para os olhos e para a alma.

A chegada de peregrinos que fizeram o caminho a pé


Embora o falatório, os murmúrios, o espocar das luzes oriundas das máquinas fotográficas, os risos e a mistura disso tudo como interminável explosão de som atordoante, dois padres, sentados um em frente ao outro nos bancos perpendiculares ao altar, liam a bíblia e rezavam metidos em seus paramentos e alheios a tudo. O local onde os dois permaneciam estava vetado à multidão por cordões de isolamento, assim não podíamos fotografar o altar senão apenas de ângulos tortos e incompletos. Eu olhava tudo atentamente tentando memorizar cada detalhe das centenas de detalhes existentes, pois o ar do ambiente me deslumbrava, o estilo antigo da arquitetura medieval mexia nas minhas emoções e, afinal de contas, caminhava por espaços ricos em história e mistérios.


Num dos restaurantes de Santiago


Na ânsia de guardar as lembranças em muitas instantâneos, para recordar depois todos os instantes daquele passeio único, sem perceber fiquei ao lado de um dos muitos confessionários enquanto Ana se posicionava para fotografar. Súbito, no entanto, notei alguém ajoelhando-se mas, por milésimos de segundo, ainda sem conseguir entender a realidade e o significado espiritual do gesto. Foi necessário Ana aproximar-se de mim e sussurrar-me ao ouvido: "tem um padre aí dentro e esse homem ajoelhado está se confessando". Nada ouvi do interlúdio entre os dois, claro, nem poderia porque o barulho não deixara. Além do mais, estou certo, não compreenderia a linguagem dos dois se lograsse ouví-los. Saí de fininho à procura de outro espaço.

O altar da Catedral


Vimos uma grande fila e para lá nos dirigimos apesar de não sabermos aonde levava, embora isso não importasse muito desde que se tantos a ela se juntavam é porque havia alguma coisa especial para ver. E como tínhamos ido a Santiago de Compostela dispostos a apreciar todas as atrações possíveis, enfrentamos a espera.

19 comentários:

Isa disse...

Meu Amigo,lindo o dom q.Deus lhe deu para o Verso e para a Prosa.
Sei q. já disse, mas devo repetir.
Senti-me em cada canto,ouvi a voz tão suave de Ana,sua querida Esposa
sussurar para se distanciar um pouco.
Arrepia,sabe?!
Eu "estive"lá.
Beijo.
isa.

Carmem disse...

Encantador!...
Sempre com algo lindo de ler e ver...

Beijos e obrigada pelo carinho

Tatiana disse...

Muito bom ler sobre a sua viagem...

Vim apreciar e aproveitar para lhe desejar uma semana maravilhosa!

Beijos com meu carinho

BC disse...

Excelente essa viagem, é muito bonito_____________eu diria místico
mesmo.
Não tem aparecido___________eu também devido a compromissos e afazeres familiares tenho andado mais afastada.
Abraço
Isabel

isis de la noche disse...

Guao amigo!!!!

Me emociona cada paso del camino que compartes con nosotros... Siempre he querido hacer este camino.

¡Qué bonita foto bajo la lluvia!!

Y tus palabras son realmente evocadoras... es un gusto leerte!!

besos!!

Adrisol disse...

que hermosura nos estás mostrando!!!!!!!!!
gracias por esta difusión, la mejor manera de conocer un lugar, de la mano de un amigo.........

un abrazo enorme

Menina do Rio disse...

Belissima viagem!

Um beijo

Liliana G. disse...

¡Excelentes fotos y espectacular tu reseña! Verdaderamente la narración de tu viaje hace que conozcamos cada uno de los lugares en los que estuviste. Muy bueno.
Cariños.

Gabiprog disse...

Ajaja!

Así que con paraguas. Normal en Santiago!

;-)

Un abrazo. Continua el viaje!!

Sendieva disse...

Hermoso, tan simple como eso, y con tus palabras más hermoso aún, es uno de los lugares que mejor te hace sentir, que mejor te hace pensar, muchos besos amigo.

cynthia disse...

Que bello que compartas y nos brindes tan bellos viajes...
cariños.

besos muchos.

La Gata Coqueta disse...

Habéis echo un largo viaje para venir a conocer Portugal y Santiago de Compostela, luego es una pena que la climatología no os acompañara, viniendo de un país como el vuestro que es mucho más benigno.

Yo hace años también he estado en ambos sitios y me ha encantado.

Habréis visto también me imagino, el poblado celta que sale en los libros de texto, para ya llevarlo todo aun más visto, como algo que llama mucho la atención.

Espero que llevéis un buen recuerdo de nuestras tierras, yo como soy de Asturias estoy de vecina de Galicia, luego hay muy poca distancia a Santiago.

Un abrazo y seguir disfrutando si aun no habéis regresado.

Peter Pan disse...

Genial Amigo:
Santiago de Compostela. Já lá fui inúmeras vezes.
O que descreve, fantastica e talentosamente, é digno de realce e admiração.
O povo espanhol desta região é afável, simpático e extremamente delicado, maravilha.
Parece que vejo a Catedral de maravilhar na sua opulência e repleta de gente, como tão bem narra.
Foi uma viagem de sonho, a sua!
Parabéns pela sua postura e beleza como descreve o lugar paradisíaco e de encanto.
Abraço amigo de imenso respeito e estima.
É fabuloso.
Com admiração

p.p./Pena (O Cantinho da Terra do Nunca)

Peter Pan disse...

Genial Amigo:
Santiago de Compostela. Já lá fui inúmeras vezes.
O que descreve, fantastica e talentosamente, é digno de realce e admiração.
O povo espanhol desta região é afável, simpático e extremamente delicado, maravilha.
Parece que vejo a Catedral de maravilhar na sua opulência e repleta de gente, como tão bem narra.
Foi uma viagem de sonho, a sua!
Parabéns pela sua postura e beleza como descreve o lugar paradisíaco e de encanto.
Abraço amigo de imenso respeito e estima.
É fabuloso.
Com admiração

p.p./Pena (O Cantinho da Terra do Nunca)

Nani disse...

Apesar da chuva, deve ter sido uma experiência e tanto, gostei das fotos e da ementa que vi no blog da Ana, abraço aos dois.

Lourdes Sabioni disse...

Gil : Esta é a viagem de meus sonhos...Quero ser peregrina, ir a pé de Lisboa até lá, fazer o caminho pela rota da lua como me ensinou minha mestra que já partiu...mas que espera que eu faça seguindo o mapa que me deu e as referências indicadas.A Ana anda me esnobando e me deixando de lado, não sei porque, acho que não fiz nada...que bom que você sentiu tudo o que descreveu!Nós sentimos também ao ler sua narrativa...beijos no seu coração e no dela!

Mundo de Alice disse...

Adorei!!!tudo
que viagem!!

Ana Maria disse...

Parabéns pelas fotos e pelas belas palavras .
Percebo que foi um passeio formidável.
Beijinhos

tossan disse...

Se fiquei emocionado com a tua belíssima narativa, imagina eu estando lá com vocês?! Preciso, sempre quiz faze-la e vou. Abraço