domingo, 24 de maio de 2009

UM QUÊ DE GRANDE MELANCOLIA

Imagem da net


A solidão nos faz acumular palavras
e amontoar lembranças e sofreres,
que jorram ao menor sinal de companhia
e sorrisos complacentes.

Há um quê de grande melancolia
no olhar dos esquecidos e solitários,
uma barragem de aço no coração
impede o fluir manso da alegria.

Nós podemos abrir espaços
e fazer explodir essas rochas
que não permitem o descerrar da vida
nos solitários esquecidos pelo tempo
e jogados à própria alma triste,
ao mais íntimo do recôndito.

Viver é ter o complemento do amor,
é agarrar-se às mãos solidárias
para o suporte das angústias
tão inerentes à existência humana;
não é possível sorrir sem alguém,
somente ao lado do próximo a vida
tem um sentido especial.

10 comentários:

Isa disse...

Tão verdadeiro este lindo poema.
Sim,todos os seres necessitam de
companhia.De alguém com quem conversar,trocar ideias.
Meu querido Amigo,o meu filho Nuno e a família vão ao Brasil,em trabalho,
no dia 1/06. Ñ sei o nome da cidade.
Sabendo digo.Quem me dera ir junto.
Um dia será.
Beijo.
isa.

meus instantes e momentos disse...

Demorei, mas vim conhecer teu blog.
Tudo muito bem feito aqui. ótimos poemas. Parabens
Maurizio

paula barros disse...

Eu senti. Tanto que li, minimizei, li outros blogs, voltei para reler.

Eu compreendi profundamente. Só não sei comentar de forma pertinente.

abraços, ótimo domingo.

Gabi Magnani disse...

Você escreve muito bem, de verdade. E em relação ao seu comentário, acho que dificilmente passo dos relatos. De qualquer jeito, obrigada pelo seu carinho!

Giane disse...

Amigo Gilbamar;

A última estrofe, define bem o poema da Vida.

Beijos mil!!!

Vivian disse...

..enquanto houver na
blogsfera poetas a nos
embalar.
enquanto houver estas ligações
mágicas a nos conectar com
almas afins.
dificilmente a solidão
fará
seu refúgio em cada coração.

um bj, poeta!

Dany disse...

Adorei!
E concordo que somente ao lado de outras pessoas é que se é possivel sorrir e ser feliz!
Solidão não tá com nada!
bjos

Deusa Odoyá disse...

Olá meu poeta favorito.
Parabéns por seus belos livros.
A solidão é muito triste.
Ninguem nesse mundo consegue viver só, entramos realmente na melancolia, uma porta aberta para um túnel sem luz.
Aqui vc. descreveu a melancolia como ela é realmente.
Uma semana de muitas glorias e paz.
beijinhos doces, meu poeta amigo.
Regina Coeli.

Anne Lieri disse...

Gil,vc escreve com a alma e essa melancolia tão sofrida nos toca profundamente!Muito lindo!Farei com enorme honra um comentário especial sobre seu livro no meu blog.E vou postá-lo num cantinho para os pais e crianças grandes que passarem por lá!Abraços,

Poesia do Bem disse...

Olá nobre poeta como vai? vim visitar seu blog e seguir, maravilhas por aqui, visite-me, dê -- me a honra de sua visita cordial, abraços fraternos