quarta-feira, 29 de julho de 2009

AS MUITAS ESCOLHAS REALMENTE EMBRIAGAM



Todavia o sorriso que enfeitava seu rosto
esmaeceu, virou poeira levada pela brisa
e vi lágrimas escorrendo-lhe nas faces,
o sol já não iluminava seus olhos

Ainda assim, malgrado a súbita emoção
transformada em pranto perdurava
em seu semblante um quê de esperança,
tênue fio capaz de renovar o riso

É que viver é abismo de contrastes
rupturas de momentos, fascínio e temor,
angústias vulcânicas e doces instantes
quimeras, devaneios, sonhos e pesadelos

Existir é cruzar pontes tantas vezes frágeis
e somos levados a isso pelo ato de estar vivos,
a ninguém é dado escolher o amanhã
as muitas escolhas realmente embriagam

Tão delgada é a linha que divide os sentimentos
de modo que permanece invisível ao nosso querer
e nem sempre sabemos se a ultrapassamos
mas ao percebermos já tudo mudou no coração

Portanto, esse sorriso desvanecido tornado lamento
em pouco poderá voltar a ser euforia, êxtase,
eis que anda de braços dados com seu oposto
lado a lado com a antítese de sua hipótese

8 comentários:

Vinícius Aguiar disse...

Lindas palavras, e tão subjetivas como qualquer boa poesia! Difícil comentar, mas maravilhosamente elaborada, sem dúvida alguma!

Abraços!

Euza disse...

viver
é fascinar-se
com os sonhos
e desejar
que a hipótese
dos pesadelos
nunca seja provada

o resto
o resto são escolhas

***

desculpe a ousadia, mas não resisti. seu poema mexe, remexe e deixa a gente querendo mais da vida!

Beijocas

(Carlos Soares) disse...

Muito pela poesia.Parabéns

Cynthia disse...

que cierto que bien narrado plasmado en tus palabras tan bien expuestas y detalladas...

cariños
besos.

buen fin de semana.

Rosana Ibanez disse...

Poxa, esse blog é tão lindo como o outro! Parabéns e você é um poeta de mão cheia viu? Vou seguí-lo também e obrigada pela visita no minha humilde casa.
Um ótimo fim de semana

Camilla disse...

Oi, obrigada pela visita. Demorei mas estou retribuindo. Muito poético seu espaço. Belas palavras!

Abraço!

Sonia Schmorantz disse...

"tão delgada é a linha que divide os sentimentos..." Não fora assim, não haveria poetas eternamente tentando definir esta confusão de sentimentos que mora em nós! Escreveste um lindo poema!
abraço e feliz domingo

Josselene Marques disse...

Caro amigo:

Simplesmente ma-ra-vi-lho-so o seu versejar.
Encantada.
Ótimo domingo!
Abraços para você e Ana.