segunda-feira, 6 de julho de 2009

PÁSSAROS VOANDO



Quando avisto pássaros
voando na imensidão
um toque de alegria
perpassa meu coração
parece que a natureza
num gesto de realeza
comigo tem comunhão

Eles sobem, descem, planam
fazem piruetas no ar
as árvores lhes acenam
os galhos querendo saudar
todas aquelas proezas
nesse leque de belezas
que nada pode apagar

Eles voam sobre a brisa
como baile em pleno ar
deslizam sobre as nuvens
no céu os vejo dançar
são poesias aladas
talvez fadas disfarçadas
no espaço a nos fascinar

Pássaros moram no alto
eles namoram voando
fazem a corte à pretendida
como folhas tremulando
na graça de suas asas
os ninhos são suas casas
e lá dentro vão se amando

Meus olhos se embelezam
ao emanar do encanto
expresso por esses seres
protegidos pelo manto
do Deus da eternidade
mesmo com tanta maldade
produzindo morte, pranto

Que seria deste mundo
sem a ternura das aves
se transportando no vento
como pequeninas naves
cuja beleza transpira
e o ser humano admira
seus movimentos suaves?

Se chegarmos ao futuro
pássaros ainda virão
esconder-se nas árvores
se é que elas existirão
ou somente o azul do céu
à guisa de antigo painel
os seres humanos verão?

O que nós estamos fazendo
com nosso comportamento?
Devastando as florestas
somos néscios ou jumentos?
Ao invés de plantar vida
vamos causando ferida
cobrindo a flor com cimento

Deixem a natureza em paz
ignorem aves planando
não assassinem as plantas
permitam flores brotando
e quando estiverem no mar
que seja só para olhar
os lindos peixes nadando

11 comentários:

Ana Maria disse...

Pássaros voando nos dão um espírito de liberdade.
Ser livre, saber voar sem temer.
Beijinhos amigo!

Andreia disse...

Oi Gilmar, que belo e encantador poema!
Obrigada por sua visita em meu blog. Adorei seus textos e passarei sempre por aqui. Beijos e uma semana maravilhosa...

Vivian disse...

...fui plainando, levitando
neste teu doce cantar poético...

que lindo!

bjbj, menino!

Josselene Marques disse...

Caro Gilbamar:

Lindo cordel. O que mais me chamou a atenção foram os versos, abaixo, nos quais você resume tudo:

"O que nós estamos fazendo
com nosso comportamento?
Devastando as florestas
somos néscios ou jumentos?"

Parabéns!
Como sempre, é um prazer passar por aqui.

Fraternos abraços para você e Ana.

Gabiprog disse...

Maltratamos nuestro hogar...
Deberiamos aprender de la naturaleza y del resto de seres!

Un abrazo

Ilaine disse...

Oi, Gilbamar!

Estive ausente durante sete meses da blogosfera, mas agora voltei.
Maravilhoso passar aqui em seu blog, que aliás está lindo.

Pássaros voando em ritmos e rimas.
Parabéns, poeta!

beijo

Úrsula Avner disse...

Olá meu caro, quanta doçura e suavidade em seus versos. Os pássaros lhe emprestaram suas asas e voce voou com eles. Um abraço amigo.

Ana Martins disse...

Sente-se no poema essa paixão pelos pássaros!

Lindo!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Ava disse...

A gente pega emprestado as asas dos pássaros...

E num vooo cego, tentamos chegar a algum destino...

Sem nada traçado... Sem nenhum plano de voo...


Acho, meu querido amigo, que voar, realment é para os pássaros!


Nossa imagininação até,pode ajudar... Mas nem sempre...rsrsrsr


Beijos e carinhos!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Fui voando lendo as suas belas palavras sobre os pássaros !

Não pretendo de maneira nenhuma ser poetisa mas hoje apeteceu escrever com rimas em francês mas não sou capaz de fazer uma tradução/adaptação em português.
Fiz uma tradução rápida no sítio do comentários.
Ja desafiei algumas pessoas, quer experimentar também ?

abraços verdinhos

da

verdinha

Chris disse...

Belissimas palavras, gostei de passar por aqui. Parabéns...
bjs
Chris