segunda-feira, 12 de outubro de 2009

DOIS SOLDADOS NO SOL

Diariamente e quase o dia inteiro o sol incide com força e intensidade, num brilho cáustico e sufocante, apesar da temperatura fria na cidade, sobre o frontispício da Casa Rosado, em Buenos Aires. A sede do Poder Executivo argentino está localizada em frente à Plaza de Mayo e fica protegida pela presença da guarda presidencial apropriadamente vestida com a farda de gala. O trabalho deles, como é óbvio, é deixar evidente que o lugar se encontra sob o atento olhar de homens prontos para a ação a qualquer momento e seja em que circunstância for. Eles são, evidentemente, parte integrante do quadro formado por aquele imenso e vetusto prédio que chama a atenção de todos os visitantes.
No segundo dia de minha estada em Buenos Aires, estando o hotel onde me hospedei muito próximo da Praça de Maio, resolvi ir até lá para rever tudo e tirar fotos de um dos lugares mais fotografados pelos turistas, além de tornar a ver aquele ambiente tão cheio de história e regado por tanto choro e lamento das mães dos desaparecidos no tempo da ditadura. Nesse dia o sol me pareceu especialmente causticante e vi até mesmo os portenhos fugindo daqueles raios exagerados, o que normalmente não acontece pois a temperatura usual os leva a sentar-se ou deitar-se a plenos raios solares para aproveitar o calorzinho amigo que ameniza o frio cotidiano.
Como sempre, não poderia faltar, é claro, um olhar deslumbrado à Casa Rosado, aquela passagem obrigatória por um recanto que sempre deixa encantado qualquer um.
Aproximei-me dos portões de ferro, o sol queimando o chão, as pessoas andando apressadas para fugir da claridade excessiva e do calor abrasante, então vi. Além do primeiro portão depois da calçada, onde avistei uma guarida, havia outro na entrada principal e ali o Astro-Rei castigava com mais crueldade. Sob ele, em posição marcial, duros feito estátuas, dois jovens guardas presidenciais encaravam sua função com denodo e profissionalismo. Onde os dois eram obrigados a estar por dever de ofício certamente o calor passava dos 39 graus, afora pesar sobre eles a responsabilidade de ali permanecer por horas a fio na mesma posição de sentido, cobertos da cabeça aos pés, indiferentes a tudo e a todos como se não fossem humanos. Eu os olhei durante alguns minutos esperando alguma reação deles, mas em nenhum momento chegaram nem a piscar ou mexer um dedo, dando a impressão de mumificados ou transformados em pedra. Sem acreditar no incrível da cena, fiquei pensando o que poderia estar povoando a mente de cada um e imaginando quanto sacrifício passavam naquele trabalho árduo e insalubre. Ao sair dali, não suportando a intensidade solar, voltei o olhar novamente para os dois membros da guarda presidencial percebendo que continuavam na mesma posição tendo o olhar perdido nalgum ponto do nada à sua frente.

6 comentários:

Gabiprog disse...

Dura posición la de ellos.
Sus superiores seguro que estan en mejor sombra...

Un abrazo.

FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDO AMIGO GILBAMAR... TUDO BEM CONTIGO???
ESPERO QUE SIM... ADOREI O TEXTO !!!
VOTOS DE UM DIA FELIZ... ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA...
FERNANDINHA

Princesa disse...

Obrigado pela visita
Colhemos o que semeamos,
Alcançamos o que buscamos,
Somos o que pensamos
E acreditamos ser...
Então, caminhemos
Semeando o Amor,
Buscando a Paz,
Acreditando nos nossos sonhos
E transformando-os em realidades...

***********************

MEU CARINHO SEMPRE*
BEIJO

Andresa disse...

Ola amigo,

Tava dificil comentar em seu blog, agora acho que vou conseguir.

Seus textos são maravilhosos. Está de parabens!

Vida dificil desses soldados, acho que quando acaba o expediente, tem que fazer massagem para aliviar a tensão de ficar imovel o tempo inteiro.

Eu não aguentaria!

Um otimo dia
Bjs
Andresa

Deusa Odoyá disse...

Olá meu querido poeta.
Que vida mais ingrata desses soldados.
Adorei o texto.
Uma semana de muitas realizações e paz.
Aguardo sua visita ao meu cantinho.
Beijinhos doces da amiga.
Regina Coeli.
Curta bastante com sua familia esse lindo país.

Tatiana disse...

Vim apreciar as suas palavras...
É sempre bom voltarmos a encontrar as pessoas que admiramos.
Um beijo carinhoso para você!