quarta-feira, 29 de outubro de 2008

SINGELEZAS DA VIDA

A pequenina borboleta estava abraçada à cortina da janela de minha escrivaninha tão-logo o dia amanheceu. O vento dava suas voltas apressadas pelos espaços do meu escritório e deixava revoar o pano grosso do cortinado, e a borboleta aferrava-se a ele como seu último ponto de apoio. A presença daquela serzinho tão indefeso no meu ambiente de inspiração e trabalho, ansiando viver como qualquer outro o faria enquanto lhe pulsa a vida, sensibilizou-me sobremaneira. Corri a pegar a máquina fotográfica para guardar aquele momento a mim deveras lindo e disparei o flash temendo vê-la fugir. Mas ela não se foi, quase ficou a olhar-me através de suas cores tão bem distribuídas por Deus, deixando-se fotografar como uma boa modelo. Vaguei meus olhos por ela ainda alguns instantes, admirando-a, ela certamente perdida nos interlúdios de, quem sabe?, suas, digamos, reflexões. Riria de mim se soubesse como tanto me encantou sua deslumbrante visita. Depois, deixei-a sossegada e fui cuidar de minha vida esquecendo-a solitária no recanto que escolhera para pousar.



Qual não foi minha surpresa, à noite, já de volta de minhas atividades cotidianas, ao, displicente, olhar para o teto sem razão aparente e deparar, perplexo, com a mesma borboletinha colorida ali grudada a, por certo, namorar o branco do estuque. Paradinha, silente como convém às borboletas, só Deus sabe desde quando estava lá enfronhada em si mesma. Minha reação normal foi, novamente, disparar à procura da preciosa máquina digital no intuito de tentar registrar a nova e destoante paisagem bucólica proporcionada pela frágil e indefesa borboleta. E pensar que o bater de suas asas pode causar um terremoto na Ásia! Lei de causa e efeito, dizem. Cruz credo! Arreda!
Bem, à parte isso, subi na cadeira e aproximei a câmera o mais perto possível dela e cliquei. Como se indiferente ao meu desajeitado anelo de retratá-la, lá estagnada ela estava e permaneceu sem piscar os olhinhos. Eu não podia de modo algum perder a oportunidade de emocionar vocês, como eu fiquei, então anotei esse fragmento de sensibilidade que tomou conta de mim ante a simplicidade e a singeleza das pequenas coisas que nos atraem e de quanto tudo pode ter um toque de arte e poesia.


24 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

A natureza e tudo o que ela nos oferece é belo.

Bom dia amigo.

beijooo.

Romicas disse...

Consigo imaginar, perfeitamente e com detalhes, todos os momentos que partilha aqui. Quantas vezes isso me acontece, seja com um bichinho, seja com uma flor ou um raio de luz, uma nuvem ou um risco de avião. Só que não tenho essa veia poética para, rapidamente, colocar no papel, os sentimentos que nos assaltam nessas fracções de segundo.
Um abraço

cynthia disse...

La vida regala colores.. destellos y magia..
Entre mis alas un gran beso te dejo.
gracias.

Uma Ilha disse...

O simples e belo!São estas pequenas coisas da vida que todos deviam ver e se emocionar, são elas que nos fazem sorrir e viver bem mais feliz.Um abraço e bom fim de semana.Uma ilha

elisabete fialho disse...

Tenho cá para mim, que a borboleta apenas queria que abrisse a janela e devolver-lhe a liberdade
Tenho cá para mim que ela pouco estava interessada na camarã
No fim de contas a luz do dia estava a atraí-la para o exterior
Só se ela era uma modelborboleta ehehehe rrrsssssss
Foi agradavel esta leitura
Abraço

Diosaoasis disse...

Cada cosa tiene un significado profundo en nuestras vidas por el lado en que las miramos. La sensibilidad siempre esta presente. Saludos

Dina disse...

É nas pequenas coisas...nos seres minúsculos que existem mais beleza e mistério....porque é nelas que vemos a perfeição da mão de Deus!
Ela....jamais iria supor(me vendo como ela....)que um ser tão estranho e gigantesco,cai-se em comtemplação a sua pequena e frágil presença!!!
Bjs...

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Gilbamar, o teu marabvilhoso texto, ficou com a tonalidade da cor do Céu... A tua sensibilidade, toca meu coração Amigo !... Votos de um bom fim de semana, com muito carinho, paz e amor ... Beijinhos desta tua amiga do coração,
Fernandinha

M.L disse...

Querido Amigo .. la naturaleza y todos sus seres vivos desde el más pequeño y diminuto, al más grande .. siempre han inspirado en mí la máxima admiración y respeto.

Es Dios quien nos regala la diversidad más exquisita a través de cada flor, árbol, insecto o animale de todas las especies que pudiésemos imaginar.

Admirar la Vida en todas sus manifestaciones, es honrrar la obra del Creador.

Me llenó de ternura tu escrito.
Un abrazo grande Gilbamar.
Mi cariño.

tossan disse...

As borboletas só visitam pessoas especiais, por isso que ela te visitou. Abraço

Val Du disse...

A Natureza é uma dádiva presente em nossas vidas.

Que maravilha de texto.

Abraços.

isis de la noche disse...

Belo!!!

a veces estamos tan preocupados de las cosas "importantes" que este mágico presente pasa de manera imperceptible y con él los pequeños placeres que no tuvieron el instante que reclamaban...

Afortunados quienes se detienen un momento y abren su corazón..

a las cosas simples de la vida.

un gran abrazo.

¡Quién pudiera ser una "borboleta"!; vivir danzando con el sol, con la alegría de un niño, pintando de colores el espacio vacío!

Cleo disse...

Um momento de singeleza, total sintonia com o divino.
Linda tua crônica.
Beijos e belo fim de semana.
Cleo

Luiz Caio disse...

Olá Gilbamar! Boa tarde!
Estes breves momentos de emoção. Conforme vão se repetindo em destintas situações em nossas vidas. E vamos tendo cada vez mais a percepção das pequenas maravilhas da natureza... Nos está sinalizando, que o mundo ainda não está perdido. Que o amor ainda pode ser maior que tudo o que há nesta vida... Que só o amor ( por mais que torçam o nariz!) É capaz de transformar o mundo!

TENHA UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA!

Luciana disse...

É impressionante como coisas tão simples podem às vezes nos emocionar tanto. Essa borboletinha talvez nunca saiba o bem que te proporcionou...
Obrigada pela visita em meu blog e pelo comentário! Fique à vontade para voltar quantas vezes quiser...

Ju... disse...

Que linda descrição, cheia de leveza e sentimento!
Obrigada pela visita no blog!
Abraços!

BC disse...

Como um pequenino ser pode dar um texto tão bonito, e é destas pequeninas coisas que conseguimos fazer poesia.
Abraço
Isabel

Uma Ilha disse...

Um fim de semana de muita luz para você amigo.uma ilha

Ana Martins disse...

Caro gilbamar,
uma borboleta fotogénica e um texto de encantar com enorme sensibilidade poética.

Parabéns poeta.

Beijinhos

Gabiprog disse...

Escuchar a Samuel Barber y su adagio... Mientras leo tus palabras. Es todo un buen regalo para tus visitantes.

Un placer.

Gabiprog disse...

Borboleta.
Volvoreta en gallego, el idioma de mis padres. Curiosos caminos los del lenguaje.

Un abrazo.

Adrianina disse...

Bonita narración, muy visual.
Gracias por la bonita vista que hiciste a mi blog, te seguiré visitando.:)
Te dejo un beso grande y me quedo un ratito leyendo otras publicaciones.

SuEli disse...

Boa Tarde, Gilbamar

Obrigada pela sua visita e da mesma forma fiquei eu aqui encantada lendo este seu relato da borboleta.

Vivi algo parecido e quando a vi morta, pensei comigo: Deus a trouxe para terminar os seus dias perto de mim. Sabe que fiquei tão emocionada que não tive coragem de jogá-la fora e coloquei-a dentro de um vaso de plantas. Não sabia o que fazer e deixei para Deus dar um resultado para ela. Acabou que me esqueci que ela estava no vaso e dei o vaso para minha irmã e ela sem saber da nada, jogou a borboletinha no lixo. E assim terminou a história da minha borboletinha.

Só não fotografei. Como diz o ditado: Não fotografou, dançou. (risos)

Amei conhecer seu espaço, voltarei para ler seus contos, pois não tenho este talento, mas gosto muito de ler coisas que me emocionam e histórias da natureza, sejam elas quais forem me agradam muito, pois é Deus em ação.

Um abençoado domingo e uma excelente semana para você,

Fique com Deus,
Beijos,

(En) Canto da poesia disse...

Gilbamar! Estou aqui, admirando este belissimo espaço. Agora estou aqui tb, ok? Faça-me uma visita que vc será sempre bem vindo!
Beijos da amiga Milla.