segunda-feira, 24 de novembro de 2008

EM MEIO AO CAOS, O AMOR




As pétalas multicolores da roseira no jarro sobre minha escrivaninha tremulam à brisa e parecem acenar serenamente para mim como se quisessem dizer-me algo. Eu as encaro e fico meio que risonho, um tanto maroto, pois as percebo sorrateiras e astuciosas, mas logo me vejo acabrunhado por esse pensamento salpicado de resquícios poéticos e traços de devaneio a que não me furto porque entranhado em meus poros. Deito meu olhar por sobre a foto de minha linda esposa sorridente, o rosto colado ao meu cujo sorriso denota especial felicidade, e me pego sonhando como se estivesse num jardim todo florido e perfumado, notando a seguir que as flores são os saudáveis dentes dela e o perfume vem do seu hálito de deliciosa fragrância. O belo jardim não é outro se não seu terno rostinho, onde brilham olhos cor de esmeralda e lábios muito mais doces que os de Iracema cantados por José de Alencar. Tenho por mim que a pobre índia alencarina morreria de inveja se tivesse conhecido minha querida esposa. E José de Alencar teria mudado o nome da personagem de Iracema para Ana se por um desses acasos da vida avistasse minha querida. Deixo meu coração bater mais forte enquanto, encantado e cativo, passeio meus olhares por cada centímetro quadrado de suas faces acetinadas aveludadas.

:)

E lá está a webcam direcionando seu olho único, redondo e patético, para mim como a indagar se pretendo ser bisbilhotado em minha face circunspecta. Expresso, então, um repentino esgar mal-humorado ante a brusquidão de sua audácia, cubro-a imediatamente e me ponho a vislumbrar seu robótico e esférico aspecto grotesco. Vem-me um inesperado anseio de tomá-la na mão e arremessá-la janela afora, cá do quinto andar do prédio onde moro, para vê-la espatifar-se no chão duro do meu condomínio. Todavia, no intuito de evitar a concretização dessa rispidez sem causa, desvio o olhar direcionando-o às caxinhas de som escuras e abobalhadas, agora silenciosas, de pé bem ali ao meu lado como pigmeus empalhados à moda cossaca, seja lá o que isso for. Ambas permanecem à espera de um comando aleatório para desferir no ar o som adormecido em seus âmagos vulneráveis. Melhor não tocar nelas, são barulhentas como recém nascidos chorões.

:)

Há livros muitos espalhados desordenadamente sobre a escrivaninha, praticamente todos expondo capas bem elaboradas, de rico design, próprio dos artistas plásticos habituados à beleza estética e ao visual atraente. Uns são relatos verdadeiros sobre o sofrimento das mulheres árabes em seu mundo dominado por homens fanáticos, outros são de auto-ajuda e mais outros enveredam pela fantasia universal da ficção criativa. Jack Higgins, Khaled Hosseini, Harriet Logan, Jean Sasson olham para mim através de seus nomes em destaque nas obras desalinhadas e ficam em silêncio como a esperar de mim uma atitude qualquer. O mutismo das letras embaralhadas tecendo frases é quase um grito sufocado e assustador. As obras literárias bradam em alto e bom som envoltas em seu mutismo disfarçado. Todos esses livros estatelados em derredor querem ansiosamente ser lidos e, se possível, resenhados, pois afinal de contas foram concretizados com essa específica finalidade. Mas se já os li ou, na verdade, estou a meio caminho de uns tantos? Eles que aguardem, breve os manusearei para meu próprio deleite intelectual. São para isso os livros, ora pois!

:)

Que mais há em cada recanto ao meu redor além do tédio desnorteante? De um tudo, práticamente, eu diria. Folhas de papel rabiscadas por alguma razão, dois celulares esquecidos e calados, o pincenez coberto da poeira que vem pela janela aberta, um calendário 2009 enviado pelo banco onde mantenho minha c/c, canetas destampadas e papéis diversos e desconexos, tantos que se ajeitam pelos recantos de qualquer maneira e vão se acumulando ao longo dos dias e dos anos. Não é bagunça, só minha maneira de ser. Até que a amada esposa, o amor de minha vida, se achega e põe aquela ordem feminina doce e singela tão típica de seu carinhoso jeitinho admirável e amoroso.

33 comentários:

Fa menor disse...

Tão lindo seu jeito de amar sua esposa :)

Beijinho

Isa disse...

Tão lindo e doce o seu Amor!
Amores assim comovem-me.Enternecem-me profundamente.
Que a "chama"o mantenha e que os Amigos,como eu(se o permite),assistam e sorriam enlevados.
Beijo.
isa.

Shakti disse...

Amor...amor verdadeiro !!


bj

Marysol disse...

Me he esforzado en comprender tus letras y he podido ver como prevalece el gran amor que le tienes a tu esposa a todo el caos y desorden que rodea al escritor.
Bendito amor, estimada Gilbamar.

http://marysolsalval.blogspot.com/

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Gilbamar, belíssima crónica Amigo, amor assim nem toda a gente tem só os felizados(as) desta vida... Adorei!!!
Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Pato´s disse...

Gilbamar en mi blog hay algo para vos!
Besitos y buen comienzo de semana:)

isis de la noche disse...

Ay Gilbamar... me has hecho dejar un gran suspiro entre tus líneas!! ;)

El amor que se manifiesta transformando todas esas pequeñas cosas cotidianas en rituales de devoción...

Muy muy muy lindo...

Afortunada la mujer que sea amada así! ;) y que se sabe la más bella entre las bellas, a los ojos enamorados de quien la contempla...

Un abrazo amigo!!

BC disse...

O amor verdadeiro é maravilhoso e a maneira de o demonstrar ainda melhor, as palavras soam como anjos a cantar às estelas do céu.
Abraço terno
Isabel

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Isso é raro...e lindo!
me atrevo a dizer que é perfeito.

Romicas disse...

Que linda declaração de amor...
Sem mais palavras.
Um abraço e um beijo para os dois.

Pico minha ilha disse...

Bela prosa poética e mais belo o amor pela sua esposa.Abraço fraterno.

tossan disse...

Lindo, será que ainda exite? Belo! Abraço

JOICE WORM disse...

Vou só deixar um beijinho, Gil.
Hj volto aqui. Muac!

adrisol disse...

HOLA GILBAMAR!!!!!!!

PRECIOSO POEMA DE AMOR QUE ENTERNECEN EL ALMA......
GRACIAS POR COMPARTIRLO CON TUS AMIGOS!!!!!!!!!!!
UN ABRAZO DESDE ARGENTINA.

Diosaoasis disse...

Que bueno que expreses aquí en tu blog palabras bellas.
Saludos.

LuzdeLua disse...

O amor é bom, e que venha mesmo sob caos...
Muito bom

"Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem, os amigos devem ser amigos para sempre, mesmo que não tenham nada em comum, somente compartilhar as mesmas recordações."
Vinícius de Moraes

Passando, deixo-te um abraço amigo

cynthia disse...

Un canto de amor..
besos..

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Lindo demais!
Me emocionei!
beijos e borboleteios

wally disse...

Uma crônica cantando o amor.
Muito belo!
Beijinhos de sol!

Ana Maria disse...

Linda crônica cantando o amor.
Beijinhos de sol!

Tatah Marley's Confissões disse...

amor.. lindo lindo modo como vce demonstra senti-lo!

Agulheta disse...

Gilbamar. Como gostei da crónica,até poderia chamar (crónica de um dia para o meu amor) são palavras de carinho que se fazem grandes contos e crónicas.
Beijinho

C3-PO disse...

O Amor é lindo!! =D

***

Cleo disse...

Oi Gibalmar, que lindo texto. Um canto ao amor, e que este dure pela eternidade. É muito lindo.
Obrigada pela carinhosa visita.
Beijos de rimas prá ti.
Cleo

Christi Xavier disse...

Em meio ao caos, o amor sempre ! deliciosas palavras, forma gostosa de leitura a sua.

Grande beijo, gosto demais daqui.

Christi.

Níyume disse...

Un abrazo a ese amor tan puro .
gracias por tus palabras amigo.

Ana Martins disse...

Tão linda esta crónica e todo o amor nela contido.

Desejo que assim seja por muitos e longos anos de vida.

Beijinhos

Selene disse...

Que lindo o seu amor. Que ele seja eterno!

Você nos comove com a maestria de suas palavras neste belo texto.

Abençoada semana para vocês.

Luciene de Morais disse...

Gostei especialmente do primeiro texto. Fiquei encantada com seu carinho pela sua esposa! Parabéns a vocês!!

PS. desculpe a ausência, precisei de um pequeno recesso. Beijos.
http://humanidades-e-afins.blogspot.com/

Dany disse...

ah, quero muito que meu amor seja assim como vc... e que nosso casamento seja perfeito!
Bjs e obrigada pela visita ao meu blog!
;)

Andreia do Flautim disse...

Um bom dia para ti!

Serena Flor disse...

Que lindo texto meu querido!
Nossa...o amor quando verdadeiro, realmente é lindo.
Parabéns meu amigo!
Um grande dia pra você e obrigada pela visita sempre carinhosa e amiga!Bjs...Serena.

Giane disse...

Ah, Gilbamar...

Que maneira linda, romântica e poética de descrever a saudade da tua amada!

Não é para menos que aprecio tanto a companhia das tuas boas palavras!

Beijos mil e que a Ana quando voltar (se é que já não voltou)coloque em doce ordem o canto e o coração do autor!

Beijos mil!!!