quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

QUANDO A HORA CHEGAR

Vou-me um dia quando a hora chegar
e quero ir sorrindo, sem mágoas, feliz,
sentindo saudade de tudo que me alegrou
esquecendo o que me provocou tristeza

Os abraços e beijos do meu amor, claro,
irão comigo aquecendo-me o coração
não esquecendo seus olhares doces
fotografados sempre por meus olhos

Irei perdoando quem me fez chorar
sem levar os ressentimentos do agora
e prometo não lembrar a falsidade
de quem me lançou olhares de inveja

Não, não desejo saber quando me vou
o melhor da partida é deveras a surpresa
mas ao chegar esse dia, tenho certeza,
estarei escrevendo minhas poesias

4 comentários:

Lara Amaral disse...

Boa forma de ir...

Tenha um bom dia!

Beijos.

Gabiprog disse...

Caminar pensando en venganzas y que el resentimiento anime nuestros pasos es peor que permanecer parado en el sendero de nuestra vida.

Un abrazo

Isa disse...

Meu querido AMIGO,saudade de o ler,
de conversar um pouco.
Lindo poema,com travo amargo que emociona!
Beijo.
isa.

Josselene Marques disse...

Gilbamar:

Lindo, meu amigo!
Quanta sensibilidade e sabedoria em seus versos. Parabéns!
Que assim seja, mas com uma ressalva: que essa "sua hora" demore muito a chegar.
Ótimo final de semana.
Abraços para você e Ana.