segunda-feira, 9 de agosto de 2010

TUDO SE FEZ NOVO

 Numa azáfama incansável os operários derrubavam algumas paredes internas de uma casa, arrancavam o piso e o reboco, punham o forro abaixo e levavam a metralha para ser jogada no lugar apropriado. Iria ser feita ali naquela construção uma ampla reforma e tudo seria modificado e renovado. Em pouco tempo a referida habitação se tornaria nova e diferente do que era antes, irreconhecível certamente devido às grandes mudanças que estavam acontecendo. Para renovar, quebravam, destruíam, arrancavam, a própria estrutura sofria adaptações. Demoliam objetivando edificar o novo.
      Como um edifício que sofre as mudanças e é transformado, o homem redimido e regenerado pela morte e ressurreição de nosso senhor Jesus Cristo também passa por algo bem semelhante àquela construção ao nascer da água e do Espírito. Seus antigos conceitos humanos são rejeitados por si mesmo porque obsoletos e sem qualquer valor, passam as coisas velhas e inúteis de sua vida( 2Co 5:17), eis que se fez um novo homem, nascido de Deus(Jo 1:12). Essa total e absoluta renovação não ocorre num súbito, contudo, é processada paulatinamente, dia após dia, como se dá na demolição do prédio. Nesse passar ininterrupto dos dias e dos anos ele vai sendo quebrantado e aperfeiçoado pela ação da cruz, através do negar a si mesmo e se deixar guiar sempre pela verdadeira palavra de Deus.
      Seu interior vai renascendo a pouco e pouco, e como pedra viva na construção divina(1 Pe 2:5) é edificado e edifica a igreja em conjunto com os demais irmãos. De seu próprio interior e alcançando o exterior, o homem que nasceu de novo, do Espírito(Jo 3:3,5) é lapidado pelo trabalhar constante da cruz: do barro molda-se em pedra viva, é transformado e ajustado ao edifício de Deus. À medida que mais e mais se alimenta do pão da vida, que é o verdadeiro alimento e não perece, experimenta um metabolismo espiritual e então cresce e amadurece sob o ensinamento da Unção(1 Jo 2:27) enquanto as fortalezas da sua mente vão desabando à medida que caem por terra como detrito os pensamentos de outrora. As coisas velhas esvanecem e tudo é renovado de modo gradual. Pela perseverança e a oração, alimentando-se da palavra e invocando o nome do Senhor em todo lugar com pureza de coração.
      Permanecer no espírito é essencial, porque não pode haver mudanças imprescindíveis na estrutura do cristão se ele não estiver em constante comunhão com Deus. Igualmente é necessário submeter-se ao trabalhar do Espírito por intermédio das circunstâncias cotidianas. Assim como a construção não pode ser renovada sem que antes ponham abaixo o que estiver envelhecido e seja jogada fora a velharia entulhada, o ser humano regenerado não amadurece se não passar por total quebrantamento e tudo que for antigo não se tornar refugo. Para que isso seja realidade Deus necessita da cooperação do homem.

2 comentários:

Hermínia Nadais disse...

Obrigada pela partilha! Tantos ensinmentos juntos, tantas verdades escritas com o maior encanto e simplicidade!
Deus é assim... fala à vida com a vida, canta e encanta, é por isso que, mesmo custoso a valer, seguir Jesus CRisto é tão doce e bom.
Abraço fraterno,
Hermínia Nadais

lita duarte disse...

Belo texto.

Boa semana para você e sua família.

Abraços.